Os melhores restaurantes de Hollywood

Photo courtesy of current events, Flickr

Assim como os grandes atores, Hollywood se reinventa constantemente em muitas ocasiões e aspectos. Ela é conhecida como o lar dos primeiros estúdios de cinema, o lugar da entrega dos primeiros prêmios da academia, um verdadeiro tesouro do estilo Art Deco, pelo início da cultura punk rock, por ser uma meca com diversas camisas de souvenires turísticos, um epicentro da vida noturna, entre outras coisas. Os restaurantes de Hollywood listados a seguir – alguns funcionando desde 1919 e outros mais recentes – têm ajudado a consolidar o lugar como um dos destinos gastronômicos mais importantes da cidade de Los Angeles.

Musso & Frank Grill

Photo courtesy of Kate, Flickr

O Musso & Frank Grill tem sido um dos lugares mais importantes de Hollywood desde 1919, e os rostos famosos que já passaram por aqui podem encher um livro de “quem é quem no cinema” durante quase um século. Além deste local legendário ter sido reconhecido como o mais antigo de Hollywood, o Musso’s é gerenciado pela mesma família desde 1927, quando os donos originais Joseph Mosso e Frank Toulet venderam o restaurante a John Mosso e seu sócio Joseph Carrissimi. Atualmente, o Musso’s é gerido pela terceira e quarta geração da família Mosso, o que reflete o orgulho dos proprietários e a continuidade do serviço único na cidade de Los Angeles. Esse é sentimento passado a toda equipe de trabalho, alguns dos quais estão no Musso’s por mais de 40 anos. Quando os clientes regulares fazem uma reserva, não pedem por um lugar específico, mas sim pela área onde se encontra seu garçom favorito.

Nos últimos 95 anos de história do restaurante, a cozinha é comandada por apenas três chefes executivos, e atualmente está nas mãos de J.P Amateau, que conheceu o restaurante ainda criança, quando ia acompanhado de seu pai, um diretor e produtor que tinha uma conta no restaurante e pedia os legendários “Flannel Cakes” de seu lugar no balcão. Este prato, que consiste numa deliciosa mistura de crepes doces e panquecas, continua como um dos favoritos no menu do dia. De noite a maioria dos pedidos é concentrado no menu de bifes e costelas como centro das atenções. Mas um dos pratos favoritos de Charlie Chaplin, o rim de cordeiro, também é muito requisitado, assim com o fettucini Alfredo, que continua sendo preparado com a receita original que Douglas Fairbanks e Mary Pickford trouxeram de sua lua de mel em Roma.

O Musso’s também é muito famoso pelo seu Martini clássico, um coquetel legendário que pode ser desfrutado no bar, um dos lugares com mais história do Musso’s, que ainda conta com muitos elementos originais – incluindo o majestoso candelabro – que fizeram parte do “writer’s room” original, que foi aberto no final da era da proibição.

The hungry cat - hollywood

Photo courtesy of WhishingOnAsTar!, Flickr

O que hoje em dia é visto como um movimento visionário, quando David Lenz anunciou em 2005 que estava planejando abrir um restaurante de qualidade especializado em frutos do mar na esquina da Sunset com a Vine – e dentro de um centro comercial –, as pessoas pensaram que ele estava louco. Mas o nome The Hungry Cat chamou a atenção desde o início, e fez com que as pessoas começassem a visita-lo. O nome curioso veio de uma brincadeira pelo tanto que comiam os gatos que Lenz e sua esposa, Suzanne Goin, tinham acabado de adotar. Eles diziam que “teriam que abrir um restaurante para alimentar os gatos famintos”.

Num espaço que inicialmente parecia um armazém, hoje é muito mais aconchegante graças a almofadas nos assentos e a expansão que foi realizada em 2007. O que não mudou em nada a relação com os clientes e a qualidade da comida. Apesar de continuar especializado em frutos de mar, Lenz diz que as combinações de “mar e terra” são seus favoritos, como o chouriço caseiro ensopado, ou vieiras e pâncreas. O hambúrguer “Pug”, em homenagem a seu cão, foi sucesso desde o primeiro dia.

 

Beachwood Café

Photo courtesy of A.Rios, Flickr

Beachwood Café provavelmente é o segredo mais bem guardado de Hollywood. Este agradável lugar, que celebrou seu segundo aniversário em março de 2014, ainda permanece com certo anonimato. As pessoas pensam que ele está longe, mas ele fica a apenas 2km da Beachwood Canyon pela avenida Franklin. É uma questão de tempo até que o resto da cidade descubra o que as pessoas que vivem na região já sabem: aqui você encontra algo realmente especial. Os preços são bastante acessíveis e o menu, que varia de acordo com a estação, oferece pratos excepcionais, muitos com estilo asiático.

A Arma secreta do restaurante é a chefe Minh Phan, que anteriormente estava no Axe em Venice. Phan gosta de usar ingredientes de regiões do norte. Ásia e Escandinávia são especialmente influentes junto com o sabor mediterrâneo com ênfase em grãos, frutas e verduras. Seu ensopado cremoso de milho e cevada com bacon é um dos favoritos dos clientes e um dos poucos que permanecem no menu o tempo todo, junto com os “flexitarian”, que utilizam vegetais da estação e dão a opção de escolha da proteína.

O menu do jantar muda pelo menos quatro vezes ao ano, nos equinócios e solstícios. O café da manhã e o almoço são experiências totalmente diferentes, focadas na maior velocidade de troca de mesas e um pouco mais no estilo americano, que Phan deixa sob a direção da proprietária Patti Peck, que já foi chefe do Millie’s e Edendale Grill.

 

littlefork

Photo courtesy of A.Rios, Flickr

Nomeado pelos pequenos proprietários que extraem os mariscos de suas conchas, Littlefork é a realização da aspiração da vida do chefe/dono Jason Travi, que cresceu a meia hora de Plymouth Rock, em Massachusetts. O aclamado chefe, que anteriormente estava no Fraiche em Culver City, disse: “Sempre quis fazer um projeto como este, mas nunca pensei que ia encontrar pessoas que acreditassem em mim e quisessem fazer isso comigo. É realmente um sonho se tornando realidade”.

Para aqueles que se perguntam porque o menu no estilo Nova Inglaterra tem uma quantidade tão grande de carnes defumadas e poutine, a explicação é que o  littlefork começou como um conceito estilo Montreal e foi se modificando um pouco depois que os sócios de Travi de apaixonaram por Boston. O Brisket é um dos pratos que permanece com o toque franco-canadense, e é particularmente muito bom. Mas os pratos favoritos de Travi são os que o lembram de sua juventude. “Eu adoro as tortas de Almeja – algo muito comum na Nova Inglaterra – mas geralmente elas são bem ruins por lá, densas e pesadas. As nossas são preparadas com uma consistência mais leve. O rolo de lagosta é muito tradicional, é exatamente como aprendi com meu pai”. A esposa de Travis Miho assumiu o cardápio de sobremesas, que inclui torta whoopie e donuts com xarope de maça.

 

54Twenty

Photo courtesy of Steve, Flickr

Muito longe do que poderia ser uma cozinha cheia de gordura, a comida é de ótima qualidade e servida impecavelmente. Rebecca Farmer – que é a gerente do serviço ao cliente – diz: “Eu adoro servir o pão francês, cada vez que o apresento recebo gestos de espanto e admiração. É um terço de um pão de mel, preenchido com creme de queijo com geleia de morango, canela e tomilho. Outro sucesso do menu do Brunch são os ovos mexidos com tomilho, cebola caramelizada, Jalapeño, tomates assados e maionese chipotle, tudo servido com tortilhas”. No geral é necessário esperar um pouco, mas vale a pena. Um ponto importante é o estacionamento gratuito no motel Dixie, que se encontra ao lado.

 

Los Balcones del Perú

Photo courtesy of Zanckr, Flickr

A gastronomia Peruana se mostrou uma das tendências mais fortes de Los Angeles, com grande parte do crédito a Ricardo Zarate, graças a sua designação como o melhor chefe novato de 2011 pela revista Food & Wine. Mas o Los Balcones del Perú vem conquistando uma clientela muito legal em Hollywood desde 2005.  O restaurante, cujo nome é resultado da grande quantidade de varandas, que são parte importante da arquitetura Peruana, celebra seu 9º aniversário com um novo salão e um serviço de bar completo. O menu se renovou um pouco, mantendo alguns dos pratos mais tradicionais e aumentando com alguns novos. A maneira de servir, em pratos pequenos, permite aos novos clientes experimentar uma maior quantidade de pratos possível.

O dono, Jorge Rodriguez, que nasceu em Lima, diz que o Peru é um verdadeiro caldeirão, mas sua missão quando abriu o Los Balcones era apresentar “um ângulo diferente da comida peruana” – ele  explica que o que se conhecia antes em LA era basicamente a influência asiática nos pratos, como o Lomo Saltado, que é o que ele comia em sua casa quando criança, mas não nos restaurantes. Os pratos mais importantes, como os corações de carne marinada e os ceviches, permaneceram e foram acompanhados de ceviche de frango (cozido) e costelas de porco. No bar, claro, o pisco sour e os tradicionais chilcanos, uma bebida um pouco mais leve com pisco, limão e ginger ale.

 

Loteria Grill - Hollywood

Photo courtesy of acmestudiosla, Flickr

As instalações do Loteria Grill se tornaram parte muito importante de Los Angeles desde sua abertura no Farmers Market em 2002, mas em muitas formas a sucursal de Hollywood é a base de operações, e é onde começa a preparação do menu para todas as outras filiais. O espaço se tornou recentemente um dos principais pontos do local. A cada semana o restaurante apresenta novas opções de tacos no menu, como os de frutos do mar. Os menus que são preparados para a semana de restaurantes dineLA têm feito tanto sucesso, que alguns entraram no cardárpio permanente.

Claro que os favoritos de longa data, como os tacos de carne desfiada, as enchiladas verdes e a fraldinha servida com feijões embebecidos, continuam. Os planos para o futuro incluem renovar o brunch nos finais de semana, adicionando novos pães recém assados e algumas opções de ovos, além dos tradicionais ovos rancheiros e chilaquiles.

 

 

Papilles

Photo courtesy of acmestudiosla, Flickr

Em 2011, Santos Uy fez uma viagem para Paris que não só mudou sua vida como também resultou em um restaurante no bairro de Hollywood. Em cada noite ele desfrutava de um menu de preço fixo e se apaixonou com a simplicidade destes jantares cheios de estilo. Voltando de viagem, começou a escrever o que seria seu próximo conceito de restaurante, e acabou vendendo seu outro estabelecimento no centro da cidade, o Bacaro, para financiá-lo.

Desde sua abertura em 2011, o Papilles não se afastou muito do seu conceito original. Como os restaurantes que o proprietário conheceu em Paris, o formato consiste em oferecer menus a um preço fixo, com algumas substituições no prato principal, que pode ser um rib eye para dois. Uy disse que no início teve algumas dúvidas sobre o preço “$30 e poucos dólares por um menu de três pratos pode parecer muito, mas só um prato principal custa em torno de $36 em um restaurante X”. O chefe executivo é Tim Carey, que anteriormente trabalhou no Patina.

 

The Mercantile

Photo courtesy of Chris Goldberg, Flickr

O Mercantile abriu as portas em 2009 e em seguida teve sucesso com os clientes do horário do almoço, para o jantar o caminho foi um pouco mais complicado. O chefe Chris “CJ” Jacobsen, que participou algumas vezes do programa de TV “Top Chef” e que esteve no The Yard gastropub em Santa Mônica, surgiu com a ideia de renovar o menu no final de 2012. O que a princípio estava desenhado para ser um projeto de curto prazo, tem se tornado constante com as aparições do “Big Ceej” na cozinha para “ver se tudo está bem”. Tanto ele como o dono, George Abou-Daound, têm uma relação muito boa e provavelmente vão realizar outros projetos no futuro.

Falando em renovação de cardápio, CJ disse: “O conceito original é de um wine bar, e quis me apegar mais a ele com mais produtos de açougue, mais mousses e lanches para refrescar um pouco. Também pensei “como podemos incorporar o vinho à comida, com algo fora do tradicional?”, e assim criamos o gel de Pinot Noir em cima do mousse de fígado de galinha, e também o incorporamos nos pratos do menu de brunch nos finais de semana.

 

Cleo

Photo courtesy of Chris Goldberg, Flickr

O Cleo está localizado no Hotel Redbury, muito perto da esquina do Wood & Vine. Abreviatura de Cleopatra – uma referência muito clara no menu de estilo mediterrâneo – com capacidade para 150 lugares, frequentemente recebe até 450 pessoas nos finais de semana. De acordo com Andrew Adams, a gerente geral do Cleo, uma grande quantidade de clientes é hospede do hotel, mas também há muitos clientes regulares que vêm de Brentwood e Santa Mônica. Ela também comenta que “há muita gente que vive no lado oeste que dizem ‘nunca venho para esta parte da cidade’, mas gosta muito da comida, o que faz a viagem valer a pena”.

Por ser parte de uma cadeia conhecida por seus centros de vida noturna exclusivos, O Celo, segundo Adams, Cleo tem sido um divisor de águas, acrescentando muita substância à marca na perspectiva gastronômica.

 

25 Degrees

Photo courtesy of Chris Goldberg, Flickr

25 graus é a diferença entre hambúrgueres mal passados, ao ponto e bem passados. É também o nome do lugar especializado em hambúrgueres exclusivos, com serviço 24h, localizado no Hotel Hollywood Roosevelt. Um lugar fora do que estamos acostumados a ir comer um hambúrguer, decorado com papel de parede estilizado, grandes candelabros e grandes assentos acolchoados, além disso, conta com um serviço completo de bar.

Três das especialidades da casa são as que mais chamam a atenção. O número 3 com chile verde, chipotle e abacate bastante temperado, mas também existe uma grande quantidade de combinações de queijos gourmet, mais de 10 molhos e ingredientes extras. O café da manhã é servido apenas no período da manhã, mas é uma boa opção para aqueles que gostam de comer algo nutritivo depois de uma noite de festa, como o sanduíche de ovos fritos, que está no cardápio diariamente. Os arcos de cebola gigantes são algo imperdível, e os shakes têm muitos fãs, especialmente os preparados com um toque de licor, que os transformam em verdadeiras bebidas para adultos.

 

Wood & Vine

Photo courtesy of Chris Goldberg, Flickr

Batizado em homenagem ao famoso cruzamento em que está localizado, o Wood & Wine ocupa um local privilegiado do piso térreo ao terraço do edifício histórico Taft. O interior tem um estilo antigo e um pouco exagerado, enquanto o pátio é um terraço de madeira com mesas ao ar livre com luzes cintilantes. O local chama muito a atenção das pessoas que gostam de lugares da moda, mas também de clientes que vão jantar antes de ir ao teatro Pantages, que fica em frente. O lugar tem, inclusive, alguns menus especiais para as obras que são apresentadas no teatro.

Eric Buss, que era o chefe assistente do chefe Gavin Mills durante a abertura, hoje se encontra no cargo. Alguns pratos que foram criados por Mills permaneceram no menu, como o frango com waffles e o gnocchi de batata. Mas Buss vem pouco a pouco adicionando seu toque pessoal no menu, que muda constantemente, incluindo dois pratos de carne que em pouco tempo de tornaram os favoritos dos clientes: fígados de frango fritos sobre biscoitos recém feitos como molho de carne de porco, e linguiça caseira com molho de bacon e cervejas com couves de Bruxelas fritas.

 

Autor

Discover Los Angeles